Vigilância

Setembro 2014

Calama. Região de Antofagasta. Chile

 

Vídeo - 2'20''

 

Surveillance

September 2014

Calama. Antofagasta Region. Chile

 

Video - 2'20''

 

Vigilância

 

Tradução Wikipédia, a enciclopédia livre.

 

Este artigo é sobre vigilância governamental.E

 

Vigilância é o monitoramento do comportamento, atividades ou informações em constante mudança, geralmente de pessoas, com a finalidade de influenciar, regular, controlar ou proteger elas. Isso pode incluir observação à distância por meio de equipamento eletrônico (como cameras CCTV), ou interceptação de informação transmitida eletronicamente (como o uso da Internet ou ligações telefônicas); e podendo para isso utilizar métodos simples com pouca ou nenhuma tecnologia, como agentes da inteligência ou interceptação postal. Vigilância ("surveillance" no caso), vem de uma frase em francês usada para descrever "olhar por cima" ("sur" significa "de cima e "veiller" significa "olhar"), contrastando com termos mais recentes, como "sousveillance" *.

 

A vigilância é muito útil para os governos e para a ordem jurídica manterem o controle social, reconhecerem e monitorarem ameaças e impedirem/investigarem atividades criminosas. Com o advento de programas como o "Total Information Awareness" e "ADVISE", tecnologias informatizadas no compartilhamento rápido de informações, softwares de biometria e leis como "Communications Assistance For Law Enforcement Act", os governos agora possuem uma capacidade sem precedentes de monitorar as atividades de seu interesse.

 

No entanto, muitos grupos de direitos civis, como o "Electronic Frontier Foundation" e "American Civil Liberties Union", têm alegado que ao permitir o constante aumento de vigilância do governo sobre os cidadãos, acabaremos nos transformando em uma grande sociedade vigiada, com políticas e/ou liberdades pessoais extremamente limitadas ou não existentes. Receios como esse tem originado vários processos, como "Hepting v. AT&T".

 

 

* (em tradução livre, "vigilância com as próprias mãos", pois "sous" significa "a baixo", ou seja, trazer a câmera para a dimensão humana).

 

Surveillance

 

From Wikipedia, the free encyclopedia

 

This article is about government surveillance.

 

Surveillance (/sərˈveɪ.əns/ or /sərˈveɪləns/)[1] is the monitoring of the behavior, activities, or other changing information, usually of people for the purpose of influencing, managing, directing, or protecting them.[2] This can include observation from a distance by means of electronic equipment (such as CCTV cameras), or interception of electronically transmitted information (such as Internet traffic or phone calls); and it can include simple, relatively no- or low-technology methods such as human intelligence agents and postal interception. The word surveillance comes from a French phrase for "watching over" ("sur" means "from above" and "veiller" means "to watch"), and is in contrast to more recent developments such as sousveillance.[3][4][5]

 

 

Surveillance is very useful to governments and law enforcement to maintain social control, recognize and monitor threats, and prevent/investigate criminal activity. With the advent of programs such as the Total Information Awareness program and ADVISE, technologies such as high speed surveillance computers and biometrics software, and laws such as the Communications Assistance For Law Enforcement Act, governments now possess an unprecedented ability to monitor the activities of their subjects.[6]

 

However, many civil rights and privacy groups, such as the Electronic Frontier Foundation and American Civil Liberties Union, have expressed concern that by allowing continual increases in government surveillance of citizens we will end up in a mass surveillancesociety, with extremely limited, or non-existent political and/or personal freedoms. Fears such as this have led to numerous lawsuits such as Hepting v. AT&T.[6][7]